Sevilha – chegar, se hospedar, se apaixonar!

Sevilha e eu foi amor à primeira vista!!! E, acredite, isso é quase um milagre! Quase todo brasileiro acha que qualquer lugar da América do Norte e da Europa é melhor para se viver do que aqui. Eu faço parte do outro pequeno grupo, que acha que bom é aqui mesmo. Concordo que há questões de qualidade de vida por ai afora que fazem nossos olhos brilharem, mas o calor, a alegria, a bagunça, a família, os abraços… valem mais para mim do que muitas conveniências. É por isso que até hoje são pouquíssimos os lugares que visitei e que eu disse “uau! eu poderia viver aqui”.

Sevilha não está bem entre os lugares preferidos dos brasileiros que querem morar fora… mas tem todo aquele calor, alegria, bagunça, família, abraços… e mais tapas, páteos internos, flores nas janelas, prédios exóticos, espanhóis e um delicioso toque árabe. Senti uma imensa vontade de estar ali com meus melhores amigos para andar de bar em bar experimentando guloseimas e cervejas, falando alto e rindo pelas ruas. Não fique menos de 2 dias se quiser viver o que a cidade tem de melhor: o clima festivo.

Expressinha Sevilha  (42)

Olhe para cima em cada rua que entrar e encontre essas delícias!

A cidade é linda de morrer, calorosa, saborosa, cheia de flamenco, com centrinho apertado, rio com margens bonitas para um passeio e ainda modernidade, lojas e fervor. Como não sentir vontade de permanecer? Ah é, e tem mais uma coisa, eu acho que no lado espanhol da minha família tem um teco de mouros. Se não tem, eu quero que tenha, então, como amo muito essa cultura e ainda acho muito maravilhosa a mistura com os ciganos e tudo o mais, aceito isso como verdade.

Como Chegar

Cheguei lá de carro, vindo de Portugal. Já contei aqui que alugar um carro em Portugal para ir para a Espanha é bem barato e as estradas são ótimas, além de ter a vantagem de poder parar e andar por onde quiser, mas só vale a pena se o carro for devolvido em Portugal, pois mesmo as grandes empresas que estão nos 2 países cobram caro se a devolução for feita além das inexistentes fronteiras.

Expressinha Sevilha  (14)

As estradas são assim… uma tranquilidade!

Para burlar essa taxa, fomos de Lisboa até Elvas, uma pequena cidade encantadora (da qual você pode saber mais aqui) na divisa com a Espanha e de lá fomos de táxi em 3 minutos para a vizinha espanhola Badajoz onde pegamos o carro que tínhamos reservado. Se estiver na Espanha, fica ainda mais fácil alugar o carro e andar por lá ou ainda ir de trem ou ônibus passar uns dias na Andaluzia.

De Madri há dezenas de saídas de trem da estação Atocha para a de Santa Justa. A viagem dura cerca de 2h30 e custa cerca de 50 euros ida e volta. O ônibus sai da Estación Sur, que fica no metrô Méndez Álvaro, mas custa quase o mesmo que o trem e demora quase 6hs.

Não usamos nenhum transporte público em Sevilha, mas há metrô e ônibus para todo lado.

A viagem de carro foi fácil, calma e deliciosa. A maioria das atrações da cidade ficam do lado leste, mas se você ficar hospedado do outro lado do Canal de Alfonso XIII ou do Rio Guadalquivir e se for passear pelos arredores, o carro será mais do que bem vindo. Para andar pelo centro e Santa Cruz, esqueeeeeça!

Expressinha Sevilha  (43)

Sim, esse é o padrão de largura das ruas do centro de Sevilha!

As ruas são minúsculas, há sérios riscos de machucar o carro (e lá o pessoal não liga muito se machucar o seu carro porque é simplesmente normal) e o GPS ajuda pouco. Fomos levados por nossa amiga GPS para o meio de uma praça proibida para carros e cheia de policiais. A coisa não ficou feia porque a rua interia se mobilizou para nos avisar aos berros que estávamos errados e alguém muito gentil nos indicou como sair dali imediatamente em outra manobra proibida. Bom, acho que a polícia também estava com preguiça. Mas senti um pouco de vergonha, odeio fazer papelão em outra cidade….

Onde ficar

Nós não tínhamos reservado o hotel, no melhor estilo me leve com o vento, e rodamos um pouco à procura de um quarto. Descobrimos que haveria uma importante tourada no dia seguinte e que além de lotados, os preços estavam mais do que salgados. Fica a dica da temporada das touradas, que começa em abril. Conseguimos um quarto no Reyes Católicos, mas queríamos ficar mais e não havia vaga para o dia seguinte.

Como estávamos cansados, ficamos ali e decidimos procurar outro lugar para o outro dia. O hotel é ótimo e super bem localizado e a diária de 50 euros sem café da manhã era a média dos mesmos hotéis do estilo. Acabamos encontrando o Hostal Monet. Meio hostel/meio hotel, tem um staff um bocadinho não simpático, quartos simples, mas privativos e com banheiro e uma localização perfeita. Nos mudamos na manhã seguinte. Guardamos o carro e fizemos praticamente tudo a pé depois disso.

Expressinha Sevilha  (28)

Assim que se ajeitar, encontre um cantinho como esse e comece a degustação!

Se você quer opções mais confortáveis, além do já citado, demos uma passada também no Montecarlo e no Europa, ambos excelentes. Do outro lado do Canal Alfonso XII fica um outro bairro simpático chamado Triana. Bem residencial, também tem uns hotéis escondidos como o Monte Triana e o Albergue Triana Backpacker, mas são um pouco mais afastados dos pontos mais turísticos. O Zenit e o Resitur me pareceram os de mais fácil locomoção por estarem próximos às pontes e ao metrô, mas também não é nada muito prejudicial. Outras opções, aqui.

Meu plano para a próxima visita (sim, haverá uma próxima visita) é alugar uma casa. No airbnb há centenas de opções com páteos em prédios antiquíssimos e lindíssimos, com varandas decoradas e flores, enfim, acho que o perigo é eu ficar ali e não sair mais. Fica a sugestão para você que também acha que vai se sentir em casa por lá. De preferência na região do Ayutamiento, Santa Cruz e Centro.

Nos próximos posts conto um pouco do que me encantou na cidade de Don Juan, onde nasceu a dança flamenca, Cármen viveu sua história de amor e Colombo partiu para o novo mundo!

Saiba mais sobre Sevilha:

Sevilha – Modernidades

Sevilha – Cidade Antiga

Flamenco em Sevilha

5 Resultados

  1. João Sardi disse:

    Boa tarde Bruna,
    Vai estranhar a minha pergunta… desculpe.
    Conhece algum restaurante de comida brasileira (rodízio) em Sevilha?
    Muito Obrigado.
    João

  2. Bruna Barbosa disse:

    Oi Wendell, tudo bem?
    Olha, ir de carro até lá não é problema, principalmente se você não ficar no centro antigo. Por outro lado, andar entre os pontos turísticos é bem complexo e não recomendo.
    Se você ficar hospedado no centro antigo, chegue, estacione o carro e saia com ele novamente só para ir embora ou se for estritamente necessário.
    Não posso te dizer com certeza se é fácil achar estacionamento por lá, mas acho pouco provável. Paramos no primeiro que vimos, que era próximo ao hotel Reyes Católicos, mas não lembro exatamente aonde. Não adianta muito tentar “escolher”, porque as ruas são em geral de mão única, então você dará muitas voltas se quiser voltar à um estacionamento que tenha visto antes. Dei uma olhada aqui no google por “parking sevilla” e aparecem algumas opções;
    PS: não dá para estacionar nas ruas do centro, que são minúsculas.
    Um abraço,
    Bruna

  3. wendell disse:

    bruna depois de ler seu posto estou receioso de ir de carro ate sevilha.vc lembra onde guardou o carro? é fácil achar estacionamento por la?

  4. Bruna Barbosa disse:

    Olá,
    Tem razão, muito hotéis europeus cobram a diária de estacionamento, principalmente nas cidades ou regiões mais antigas em que estacionamento é raridade e espaço na rua, mais ainda. Apesar disso, sempre há opções de hotéis que não fazem essa cobrança.
    Viajei de carro de Portugal até Madrid, passando por Sevilha, Córdoba e Toledo. Nas cidades em que pernoitei – Sevilha e Toledo – busquei opções de hotéis que não faziam cobrança. Na verdade em Toledo o estacionamento era na casa da dona do hotel em outra rua mas ela não cobrou nada, isso que importa.
    A maioria dos sites de reserva tem opção de filtro de estacionamento e recomendo que você faça uma busca antes. Nós procuramos os hotéis ao chegar nas cidades, mas embora tenha sido muito fácil andar em Madri e em Córdoba e as estradas serem maravilhosas, em Sevilha e principalmente em Toledo, foi super difícil.
    As ruas são muito estreitas e quase sempre de mão única. Você fica rodando várias vezes pelos mesmos lugares, super tenso para não bater em nada.
    Em Toledo simplesmente paramos no primeiro hotel que conseguimos porque era impossível ficar rodando com o carro e só tem ladeira!
    Por isso recomendo que você pesquise antes e já vá com o endereço no GPS (entramos numa rua contramão e paramos numa praça proibida para carros lotada de policiais por culpa do GPS em Sevilha, mas ainda é pior sem ele).
    A única coisa que não recomendo em hipótese nenhuma é deixar o carro na rua. Além de ser difícil de achar lugar para estacionar, é comum para os locais tomar alguns riscos e amassadinhos e ninguém nem pára quando isso acontece, mas acho que a locadora do seu carro vai cobrar os estragos.
    Por fim, eu quero dizer que recomendo muito a viagem de carro pela liberdade de horários, de parar nos locais bonitos pelas estradas, mas em Sevilha deixe o carro na garagem e ande a pé ou de transporte público. É muito mais gostoso e infinitamente menos estressante. Se você for apenas para essa cidade ou apenas Portugal-Sevilha-Madri, pode valer mais a pena até desistir do carro.
    Espero que tenha ajudado! Senão, pode continuar perguntando!
    Um beijo,
    Bruna

  5. Oi Bruna, vamos de Porugal para Sevilha em janeiro e minha preocupação é onde deixar o carro, pois ví que muitos hoteis cobram de 15 a 20 euros por dia pelo estacionamento. Você fez sua viagem de carro também? Como resolveu o problema do estacionamento?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: