Sintra

Sintra é o passeio de um dia obrigatório para quem está em Lisboa. Realmente passar o dia lá pode ser agradável, mas a cidade tem tanta coisa que esse tempo é totalmente insuficiente.

Primeiro porque Sintra – Patrimônio Mundial da Unesco – fica encravada na maravilhosa Serra de Sintra , cheia de charme, verde e até alguns mistérios. Muitas das coisas mais legais para se ver em Sintra ficam na serra, ou seja, os passeios são cansativos e, dependendo do seu preparo físico, demorados. Com calma, vai faltar tempo e mesmo que você corra muito, não é possível ver tudo. Sem falar nas trilhas e nas paradas para apreciar a paisagem e que quase tudo fecha às 18hs.

Portugal Sintra Parque

Serra de Sintra

Então, veja, as 6 principais atrações de Sintra são: Palácio Nacional , Palácio da Pena , Palácio de Montesserrate , Castelo dos Mouros , Convento dos Capuchos  e Quinta da Regaleira , todas no meio do mato, com exceção da primeira.

Na vila, ainda há o Museu dos Brinquedos , o Museu de Arte Moderna , o Museu de História Natural , um passeio de bondinho  e mais uns outros museus, galerias de arte e igrejas.

Um dia??? Sério???

Se você estiver em Lisboa, é facílimo (e barato, cerca de 3 euros) chegar a Sintra de trem. Basta pegá-lo na estação Rossio, de onde sai com frequência, e em 30 minutinhos estará lá. Muita gente, porém, prefere alugar um carro para curtir mais a viagem e até conhecer outras cidades no mesmo dia. Neste caso, basta pegar a IC19 até o fim (melhor com GPS).

Portugal Sintra Palácio da Pena

Palácio da Pena num lindo dia de sol

Portugal Sintra Palácio da Pena

Palácio da Pena num lindo dia de chuva

Sempre considere que você vai andar e cansar bastante. Mas estar de carro não ajuda muito porque é difícil encontrar lugar para estacionar perto das atrações e, no fim, você ainda passar um pouquinho de estresse procurando vaga. Também, como já disse, não vai dar para ver muitas coisas em um dia, então será que vale a pena querer ir para outras cidades? Pode valer, porque dar uma voltinha na praia e sentir a brisa, pode ser gostoso depois de subidas e descidas. Ficam pertinho Cascais, Estoril, Cabo da Roca, Azenhas do Mar e até o Palácio de Queluz.

Estive lá 2 vezes e não vi tudo que queria. Preciso contar um pouco da primeira, com minha companheira de aventuras Rosana.

Estávamos em Cascais e fomos de lá para Sintra para dormir e aproveitar o dia seguinte mais calmamente. Pegamos o ônibus 417 no terminal ao lado do de trens e chegamos 50 minutos depois à estação de Sintra.

Chegamos com o endereço do Hostel Nice Way Sintra e começamos a caminhar para lá. Confessso que foi osso. Não era longe, mas as ladeiras super íngremes para todos os lados, com babagens, depois de um dia cheio e sem viva alma na rua, nos deixaram cansadas e preocupadas com o dia seguinte e com a volta para a estação.

O Hostel é ok, fomos super bem atendidas, o preço era bom e o clima estava animado, mas desistimos e resolvemos procurar um lugar perto da estação para no dia seguinte apenas pegar as malas e ir embora. Ainda acho uma boa opção para quem quer ficar mais uns dias e eles até nos chamaram um táxi (precisei, não aguentava andar mais).´

Começamos a ligar em alguns hotéis e, surpresa, é caríssimo se hospedar em Sintra! Vai ver que esta é a razão para as pessoas só virem passar o dia… Um que não era tão caro, era lindo, todo novo e moderno, perto da estação e onde fomos mega bem atendidas chama Sintra Bliss House. Não ficamos porque não cabia no nosso orçamento, mas super recomendo.

Portugal Sintra Quinta da Regaleira

Quinta da Regaleira

O taxista, super simpático, nos indicou um lugar quando dissemos que não sabíamos onde ficar, a Casa de Hóspedes D. Maria da Parreirinha, na Rua João de Deus, nº 12 (351 219232490). Fica super perto da estação, é super simples, mas excelente para passar a noite. Tem wireless, banheiro privativo, tv e aquecedor (estava bem frio) e é bem limpinha. Não tem café nem luxo, mas o preço faz justiça, sem falar que a Dona Parreirinha é uma simpatia!

A noite de Sintra, como toda cidade turística de 1 dia, é meio devagar. Saimos correndo para jantar às 21hs mais ou menos e tudo já estava fechando, fique ligado. Não vimos nem um mísero barzinho para um relax, e apenas ficamos sabendo que havia um lugar chamado Moinho Dom Quixote que parece ser interessante, mas fica meio afastado.

Em frente à estação fica um café suuuuper simpático, o Cynthia Snack Bar. Típico botecão, mas onde mesmo fechando te fazem um sanduíche gostoso e te servem bem. Fomos lá para o café da manhã também e aconselho a comer os pastéis de nata deles, são excelentes.

Também foi lá que vimos na TV que no dia seguinte haveria greve dos ferroviários. De manhã fomos direto à estação ver como estava a situação porque tínhamos que voltar naquele dia e descobrimos que só haveria 2 trens para Lisboa: às 14hs e às 17hs. Um casal estava lá arrancando os cabelos porque tinha um vôo às 13hs e não tinha como ir para Lisboa. Claro que os táxis estavam meio caros… Atenção para este tipo de notícias em época de crise!

Bom, com o mapa da cidade em mãos, pode ter certeza de que você não vai saber por onde começar. Pense com calma, pois são vendidos bilhetes conjuntos para as atrações, o que sai mais barato. Veja bem o custo benefício porque você pode ter que correr e pode nem conseguir visitar mais de um lugar.

Acho interessante saber que o Parque de Monserrate e o Convento dos Capuchos são bem mais longe da cidade e, consequentemente, bem mais tranquilos. Ambos têm construções – o palácio e o convento –, mas estão mais voltados ao passeio ao ar livre e apreciação botânica. Não menospreze, a Serra de Sintra é linda, você se desliga do mundo, entra num clima meio misterioso e, dizem, a serra ainda tem um campo magnético excelente para a prática de meditação.

Escolhemos começar pelo Palácio da Pena, o grande cartão postal da cidade. Para chegar lá sem carro, há um ônibus, o 434, que sai a cada 30 minutos da estação de trem e ônibus e custa 5 euros para ida e volta.

Portugal Sintra Palácio da Pena

Palácio da Pena

Portugal Sintra Palácio da Pena

Pelos jardins do Palácio da Pena

Portugal Sintra Palácio da Pena

Palácio da Pena

O Palácio é bem bacana, dá para entender um pouco da história de Portugal já que Sintra era o refúgio de verão da corte, ver como viviam os reis, além de ter uma bela vista da cidade. Só que o parque é bem grande e tem lagos, jardins, estufas, o chalet da condessa e miradouros como o da Cruz Alta, que dizem ser maravilhoso, ou seja, é um passeio para o dia todo! E também é por isso que eles cobram a entrada para o parque e para o palácio separadamente. Quer dizer, você pode visitar o parque sem visitar o palácio, mas o contrário não. Então, para visitar apenas o palácio, que é o que a maioria dos turistas quer, você deve pagar pelos dois e achei o preço bem salgado. Ainda cobram um extra se você quiser subir de trenzinho da entrada até a palácio, o que quase todo mundo quer quando vê a subida.

Já que pagou, não deixe de dar pelo menos umas voltas, vale a pena e os caminhos estão indicados. Na nossa caminhada encontramos uma família se divertindo horrores com o avô que havia crescido ali e sabia trilhas, caminhos e segredos que simpaticamente dividiu conosco. Acho que podíamos ter ficado com eles até a hora de voltar, mas seguimos adiante.

Nós compramos o bilhete para parque, palácio, trenzinho e a entrada para o Castelo dos Mouros por 14 euros (praticamente o mesmo de só uma das 2 atrações) porque o castelo fica perto e consideramos que conseguiríamos visitar os 2.

Portugal Sintra Castelo dos Mouros

Vista do Castelo dos Mouros

Expressinha Sintra Castelo dos Mouros

Castelo dos Mouros

Portugal Sintra Castelo dos Mouros

Vista do Castelo dos Mouros

É possível ir andando, mas se quiser, também pode pegar o ônibus que você já pagou para subir. Ao contrário do Palácio da Pena, aqui você não vai visitar uma casinha toda montada, mas vai andar pela construção, pelas muralhas, imaginar os mouros por ali e vai ter a vista mais maravilhosa da cidade, super panorâmica. Amei!

Só nessa brincadeira já gastamos praticamente o dia todo e voltamos ao centro para comer e visitar o Museu dos Brinquedos, que minha amiga Rosana disse que não sairia de lá sem conhecer.

Fui meio desconfiada, mas devo dizer que todos deveriam visitar. Não é só para crianças, é uma coleção incrível que te leva à infância e à dias felizes, te deixa espantado e curioso. Sorte sua se encontrar por lá o dono da coleção, o Sr. João. Ele vai te mostrar um brinquedo preconceituoso, explicar por que o símbolo do museu é uma sardinha vermelha, te contar que as malas Louis Vuitton que estão expostas com as Barbies são autênticas e foram feitas sob encomenda, que a casinha de boneca representa uma casa de verdade de Sintra que você pode ver depois, e, principalmente, vai te contar o motivo dele ter começado essa coleção, que é muito inusitado! Atenção, pois fecha às segundas e às 18hs nos dias normais.

Ali do lado fica o Palácio Nacional de Sintra, aquele com as 2 chaminés esquisitas super simbólicas. É bom para quem quer ver brasões, azulejos de inspiração moura e saber mais da história portuguesa que passou por ali até com grandes nomes das artes. Fechado às quartas é o passeio mais acessível da cidade.

O dia acabou e ainda corremos para não perder o trem, viu como é duro? Duro também é pagar por absolutamente todas as atrações. Pelo menos 2 dias e um bolso meio cheio são essenciais.

Na minha segunda estada ali, fiz o bate e volta de Lisboa, de carro. Fui direto à Quinta da Regaleira, lugar super recomendado pelo meu cunhado Calil (beijão!), que adorou. Está certo, além de ser uma das visitas mais próximas do centro e mais baratas, é mesmo impressionante. Eles te indicam uma “rota” que começa pelo jardim e termina no Palácio. Siga. O Palácio é legal de ser visitado, tem umas salas bonitas e tal, mas o grande lance está no jardim.

Portugal Sintra Quinta da Regaleira

Quinta da Regaleira

Portugal Sintra Quinta da Regaleira

Quinta da Regaleira

Portugal Sintra Quinta da Regaleira

Quinta da Regaleira

 

Sabe-se lá o que Carvalho Monteiro, o dono da quinta nos idos de 1850, fazia, mas fato é que ele é o responsável pela construção de um caminho subterrâneo acessado por grutas, portais e lagos e por um poço iniciático. Iniciático em que, não sei, mas é muuuito impressionante, uma torre com quase 30 metros para dentro da terra, com uma escadaria em espiral cheio de janelinhas e portinhas que terminam no mais misterioso ainda Portal dos Guardiães. É para sentar e inventar sua própria história com passagens secretas, fontes, símbolos, vento geladinho e musgos. Sem falar na capela que também tem passagens secretas e símbolo maçon, embora eles garantam que é mesmo católico. Não deixe de ir!!!!!

Por fim, tem que reservar um tempo para andar pelas agradáveis ruazinhas do centro histórico e se interessar, visitar os Museus de História Natural, o Anjos Teixeira que está mais voltado à esculturas e o Ferreira de Castro, além de algumas outras galerias de arte.

Portugal Sintra Centro Histórico

Bondinho no Centro Histórico

Ali no centro há várias opções para comer, todas bem turísticas. O restaurante Brisol não foge da regra, mas tem um menu completo por cerca de 10 euros gostoso e acessível. Prove os famosos travesseiros e queijadinhas, típicos da cidade e presentes em quase todas as docerias como a Piriquita e a Gregório. Se achar que tudo está lotado, dê umas voltas mais para fora do vuco vuco, há opções de cafés e restaurantes excelentes e tranquilos.

Também há dezenas de lojinhas vendendo todo tipo de vinho, artesanato, badulaques em geral. Há coisas bacanas. O posto de turismo também tem umas opções legais para presentes.

Achou que Sintra só tinha coisa velha? Então vá ao Museu de Arte Moderna, que fica mais para lá, na região de Estefânia, perto da Portela de Sintra. Eles tem uma coleção de arte pop super bem cotada que inclui Andy Warhol e Lichtenstein. Esse não vi, tenho que voltar!

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Marina Vieira Abrahao disse:

    Muito legal Bru!!! Eu tive a oportunidade de passear por la e e realmente um charme.. um beijao, mais uma vez parabéns pelo blog…

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: