Portugal – Por quê?

Portugal nunca esteve nem perto do topo da lista de lugares que sempre sonhei em conhecer. Tanto era assim que já tinha feito um tour pela Europa e sequer considerei passar por lá. Nem sei ao certo o por quê. Além de termos aquela idéia muito difundida de que Portugal é o primo pobre da Europa e que todos os portugueses são padeiros ou bigodudas, acho que eu pensava que Portugal era tão parecido com o Brasil que não valia tanto o investimento em euros.

Não sei como poderia estar tão errada! E, embora tenha descoberto os segredos deste país magnífico por ter ido até lá estudar, gostei tanto que já fiz minha segunda visita! Não se deixe enganar por idéias distorcidas e preconceitos, arrume já suas malas e parta.

Expressinha Portugal 1

O mais famoso galo de Portugal!

Para te convencer a embarcar e te mostrar como podemos estar errados, algumas coisas que todos devem saber:

1- Portugal é muito bem servido de padarias, é verdade, mas a maioria está bem fora do estereótipo construído no Brasil, em especial no que tange aos padeiros, que podem até ter um bigodão, mas não anotam os pedidos em papeizinhos com o lápis que tiram de trás da orelha. Aliás, como qualquer lugar do mundo, Portugal tem todo tipo de profissional. Vá além da padaria e do futebol e procure saber mais. 

2- Portugal também tem lá umas bigodudas e umas senhoras de mãos nas ancas e avental, mas são a minoria. O resto é gente como a gente.

3- Por gente como a gente entenda que há sempre pessoas bem e mal humoradas, mas não caia na besteira de acreditar que eles são tristes ou impacientes. Os portugueses tem traços coletivos de personalidades diferentes dos nossos e parecem estar numa espécie de desilusão coletiva, mas é só para quem lança um olhar raso. Ali por baixo dos resmungos há muita energia, orgulho do país, força de vontade. O jeito de falar pode confundir, mas nem mesmo em momentos de tensão eles costumam ser propositalmente rudes.

4- Considere que muitos brasileiros causam má impressão por aí e entenderá que alguns portugueses podem não morrer de amores por nós. Os outros 90% são super mega receptivos e simpáticos, tem algum parente morando no Brasil e que espera que você conheça, já esteve aqui ou quer saber se é seguro vir para o carnaval no Rio. Não tem como não se sentir bem.

5- Quase ninguém fala bicha para indicar fila e menos ainda cacetinho para pedir um pão e eu tive que explicar inúmeras vezes que também são poucos os que usam rapariga com conotação negativa aqui no Brasil, portanto esqueça essa baboseira. Muito mais importante é saber que lá durex significa camisinha…

6- Embora seja possível se confundir com o sotaque e algumas palavras, em Portugal você poderá usufruir de todas as visitas guiadas, conversar com muito mais pessoas e ficar bêbado sem medo de se perder na volta para casa. Viva o português!

Portuguesas em Nazaré.

Nazarenas em plena ação.

7- Esqueça aquela nossa mania de se aproximar pelo futebol. Eles partilham nosso gosto pelo esporte, tem uma penca de brasileiros jogando e se naturalizando lá, mas eles têm seus próprios ídolos. Entre eles, o que alguns consideram o melhor jogador do mundo (não de agora, mas de todos os tempos!!!?!), o Cristiano Ronaldo e o Eusébio que dizem que era melhor do que o Pelé, mas não soube trabalhar o self brand (!!??!!). Confesso que causei certo mal estar quando disse que nunca tinha ouvido falar dele…

8- A suposta pobreza de Portugal (em relação ao resto da Europa) está certamente bem longe do conceito de pobreza dos brasileiros, ou seja, o país tem tudo que gostaríamos de ter e ainda tem um lado ótimo que é o fato do país ser muito mais barato do que os vizinhos. Assim, é lá que sua viagem pode ganhar uns extras sem acabar com o orçamento. Comer, por exemplo, é mais barato que em São Paulo!

9- Por mais que tenhamos estudado qualquer coisa sobre Portugal, tenha a certeza de que não sabemos nada sobre eles e há muito para ser descoberto. Leia, se informe, visite os lugares históricos e, principalmente, converse muito para entender um pouquinho da grandeza daquela pequena nação.

10- Conversando você perceberá como o Brasil é abençoado e teve uma independência tranquila. Muitos portugueses ainda vivos lutaram, participaram e sobreviveram às guerras africanas pela independência e lembram com certa amargura como alguns países maravilhosos foram completamente destruídos, como tiveram que deixar lugares que consideravam seus países e como alguns portugueses viviam como reis no além mar e acabaram causando muito mal.

11- Conversando também vai descobrir a treva em que Portugal se meteu na época da ditadura, em que a única fonte de informação em muitas vilas e aldeias era o padre, em que na TV só existiam 3 canais – todos estatais – e que o Alentejo foi o berço da esquerda e o local da resistência.

12- E é claro que Portugal é parecido com o Brasil! Mas como sempre fazemos, copiamos tudo diferente, misturamos, mudamos até a língua e graças à Deus criamos a área de serviço com varal para dentro. Então, se prepare para descobrir de onde vem o nome daquele restaurante que você gosta, de onde vem as casas do Pelourinho, de onde vem a cara do seu primo, de onde vem a receita de bacalhau da sua vó e se sentir meio em casa e meio emocionado.

Se prepare também para se sentir surpreso por não conhecer nem 10 das 500 receitas de bacalhau nem os muitos outros pratos da culinária portuguesa, por descobrir que fado é lindo e que há muitos outros cantores além do Roberto Leal, que há ainda mais da África lá do que aqui, que eles sabem infinitamente mais de nós do que nós deles, que o país é muito mais do que Lisboa e que quase toda cidade, vila ou aldeia do país tem alguma atração turística ou aspecto interessante.

Bora lá!!!!!!!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: