Expressinha – Ouro Preto

Para chegar à Ouro Preto, carro ou ônibus . De São Paulo pegue a Fernão Dias (BR 381) até Betim e de lá siga pela MG 040 ou siga até o trevo de Larvas, pegue a BR 265 até Barbacena e de lá a MG 040 novamente. De BH, pegar a MG 040 até o trevo de Ouro Preto e seguir até a cidade.

 

 

Dadas as ladeiras da cidade e da dificuldade de andar de carro em boa parte delas, quanto mais central ficar, melhor. A Hospedaria Antiga  é simples e super histórica, a Pousada Ouro Preto, também simples, tem uma bela vista da cidade e a Pousada do Chico Rei, mais sofisticada, tem quartos por onde já passaram dezenas de famosos.

 

 

Você está em Minas Gerais, onde a comida é farta e praticamente sempre maravilhosa. O restaurante O Passo  na Rua São José, o Café Geraes na Rua Direita e o Bambu  no cantinho da Praça Tiradentes são ótimas pedidas.

 

 

Ouro Preto tem dezenas de construções históricas que devem ser visitas, mas acredito que a Igreja do Carmo , a Praça Tiradentes  e a Rua São José  são os pontos que não podem ser pulados. Não esqueça de subir em qualquer dos morros mais altos e ficar por lá um pouco para apreciar a vista! Se quiser se divertir mais, vá à Mina da Passagem.

 

 

Visitar a cidade é consideravelmente cansativo. Vá de roupas leves e considere que o calor pode ser intenso, se não pelo clima, pelo esforço das ladeiras. Se tiver sol, pode ser necessário repetir a melecada de filtro solar. Além disso, o calçamento, do século 18, pede seus sapatos mais confortáveis e suas malas de alça.

 

 

A cidade é mineirinha de interior e você ainda consegue espiar pelas janelas das casas, ouvir um bom causo, passar por ruas desertas à noite. Por outro lado, a vida universitária atrai estudantes de todo canto e a cidade fervilha no período de aulas . Você verá bandas tocando na rua, festas em repúblicas, pinturas exóticas e, se tiver pique e coragem, poderá aparecer ali para o que dizem ser um dos melhores destinos de carnaval.

 

 

Doces, cachaças e queijos mineiros são encontrados em várias lojas, mas não esqueça que é tudo para os muitos turistas que frequentam a cidade, ou seja, pesquise os preços. Na Rua Direita e na São josé há várias lojas. Além disso, há dezenas de objetos em pedra sabão, a mesma usada pelo aleijadinho, como por exemplo pilões, panelas, enfeites. A feirinha  é interessante, mas falta um pouco de criatividade….

 

 

Ouro Preto fica cercado pelo Parque Estadual Itacolomi , que além de trilhas e cachoeiras, ainda tem mais umas construções históricas. É ali que fica o Pico do Itacolomi, o maciço que se vê de toda a cidade e de onde é possível não apenas ver toda a Ouro Preto como também Mariana. Fica a quase 3km de Ouro Preto, na estrada que leva à Mariana e tem ônibus que pára na porta. E em direção à Lavras Novas ficam várias outras trilhas e cachoeiras como a dos Prazeres.

 

 

Qualquer morro, e eles estão por todos os lados, podem ser excelentes para ver o pôr-dos-ol. Fiquei ali em frente à Igreja das Mercês , que além de ficar ali mesmo coladinha com a Praça Tiradentes, tem um murinho perfeito para a pausa. Foi maravilhoso!

 

 

O Bambu, no cantinho da Praça Tiradentes, tem música ao vivo no fim de tarde  e pode ser um começo. No O Passo também rola uma sonzeira de primeira, com muito jazz , basta ver lá a programação. Com uma voltinha certamente vai encontrar botequinhos, bares e festas, se envolva!

Shares 0

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: