Deliciosa Huambo

Um sábado na estrada para Huambo

Nossa última viagem por Angola foi à Huambo, cidade dos meus amigos Bene e Victor, que não apenas nos levaram e nos hospedaram, mas ainda nos serviram de guias. Êta garota de sorte!

Tentamos ainda ir para Malange, onde há uma catarata que dizem ser bem bonita e para o deserto de Namibe (que não é na Namíbia), mas a estada em Angola chegou ao fim e não tivemos tempo (e a renovação dos Vistos não é tão simples).

A viagem de Luanda para Huambo é longa e cansativa e pode ser feita pela estrada para Benguela ou pelo interior. Fomos pelo interior e foi muito agradável. Demora umas 8hs de estrada em velocidade razoavelmente alta (em alguns trechos é simplesmente impossível).

Expressinha Angola Huambo Estrada

Lindo caminho para uma linda cidade

É uma estrada bonita. As mudanças da vegetação não são tão sentidas e as retas são intermináveis, cheias de aldeias e pequenas cidades pelo caminho.

Demos uma paradinha na Comunidade da Pedra e vimos várias formações rochosas muito bonitas no caminho, que inclusive me lembraram um pouco de Aiuruoca. Dessa vez tivemos o bom senso de planejar a viagem em 3 dias, e 4 não seria mau.

⇒⇒⇒ Ficamos no Apart Hotel da Tropicana. Bem confortável, tinha quartos separados e até cozinha! Tentamos pedir uma pizza quando chegamos, mas ninguém atendeu no telefone que constava do catálogo.

Expressinha Angola Huambo Comunidade da Pedra

Alegria na Comunidade da Pedra

Expressinha Angola Huambo Comunidade da Pedra

Tristeza na Comunidade da Pedra

Como na ida tivemos mais um pneu furado (tivemos pneu furado em TODAS as viagens), chegamos no sábado já de noitinha e jantamos rapidamente uma comida já fria de buffet.

Depois o pessoal foi à Vulcão que dizem que foi uma das melhores baladas de toda nossa temporada em Angola, mas eu preferi dormir cedo e aproveitar o dia.

Um domingo de História em Huambo

No domingo acordamos cedinho e fomos tomar um café bem gostosinho no Café Gigi. A cidade já tinha um movimento e parecia que muita gente estava indo à missa, todos na estica!

Expressinha Angola Huambo Praça

Praça

Expressinha Angola Huambo Agostinho Neto

Agostinho Neto!

Em seguida o Bene nos levou à Praça Manuel de Ariaha, com seu bonito monumento ao Agostinho Neto e em seguida fomos à Faculdade de Agronomia, o que nos deu oportunidade de ver boa parte da cidade antes mesmo do almoço.

Huambo é tranquila, as ruas são largas, as pessoas são mais receptivas. Havia destruição, mas também flores naturais, vida normal. Muito mais leve que Luanda e ainda lembrando o título de “Nova Lisboa” dos tempos idos.

Expressinha Angola Huambo Faculdade de Agronomia

Um cantinho para pic nic!

Expressinha Angola Huambo Faculdade de Agronomia

Flores!!!!!!!!

Depois que voltamos, demos umas voltas a pé, sem medo, tirando fotos e realmente apreciando a cidade. Passamos pelos prédios do MPLA e do Banco Nacional (miniatura do de Luanda), pelo mercado, enfim, por prédios e casas.

As marcas da guerra são muito evidentes em alguns pontos da cidade como a antiga delegacia, e o Bene nos explicou que a região era o berço de Savimbe, ou, para quem não sabe, o chefão de um dos pólos da guerra, a Unitas.

Expressinha Angola Huambo (11)

Para quê proteção na varanda?

Expressinha Angola Huambo Antiga Delegacia

As marcas da guerra na antiga delegacia. Sim, isso são marcas de tiro!

Bom, eu confesso que não sabia muito sobre a guerra e tive que estudar. O Bene, nesse dia, nos deu uma aula, contando como era a vida da população, como a cidade sobreviveu e etc.. Depois ouvi as especulações sobre a morte do Savimbe em 2002 e que levou ao fim da guerra. Há dezenas de teorias conspiratórias!

Resumindo rapidamente as informações que obtive, Angola sempre foi uma das principais colônias portuguesas em razão de suas riquezas naturais. Os movimentos de libertação agitaram o país em seguida aos movimentos que se iniciavam em toda a África na década de 60 e teve seu principal expoente na figura de Agostinho Neto, que fundou o MPLA (Movimento Popular pela Libertação de Angola ou emepelá).

Também surgiram a UPA (União dos Povos de Angola), que parece ter sido responsável por alguns ataques e mortes muito violentos na região de Cabinda e do Norte antes da guerra e da libertação (desapareceu com o tempo); e depois a FNLA (Frente Nacional de Libertação de Angola) e o Unitas (União Nacional pela Libertação Total de Angola).

Expressinha Angola Huambo Estrada

Não parece Aiuruoca?

Expressinha Angola Huambo Estrada

Barbatan, Chapéu de Bruxa, Dedo de Deus… chame como quiser…

A independência foi declarada e tentou-se um acordo entre o MPLA, o FNLA e o Unitas, mas estes iniciaram a guerra civil pelo poder e pelo controle das riquezas naturais em especial petróleo e diamantes, apoiados, respectivamente, pela URSS e Cuba; USA e África do Sul.

Seguiram-se anos de conflitos e tentativas de minar as forças e dominar as cidades que culminaram em milhares de mortos, desabrigados e a destruição total das estradas, plantações, pontes e tudo o mais. Quando o mundo começou a se acalmar, o FNLA se enfraqueceu e a guerra se polarizou, durando até a morte de Savimbe, ainda que as eleições que elegeram o ainda presidente José Eduardo dos Santos tenha sido em 1992…

Expressinha Angola Huambo

Voltinha de fim de tarde

Voltando ao dia lindo que passamos em Huambo, almoçamos no Novo Império e achei maravilhoso o bife de lá, embora tenha demorado uma verdadeira eternidade. Depois fomos ao estádio ver um jogo do CRC, o time da cidade comandado pelo irmão do nosso amigo Benjamim, que nos forneceu os ingressos. Foi uma tarde típica e uma experiência agradável , vendo os moradores locais, as torcidas. É igualzinho aqui no Brasil, aquele vuco-vuco, ônibus lotado, vendedores na porta.

O engraçado é que assim que terminou o jogo uma galera invadiu o campo, na maioria crianças e adolescentes que corriam, davam cambalhotas, subiam no gol… Os policiais que eram a segurança do local faziam que iam tirar todo mundo, mas pareciam mais felizes do que estressados e no final percebi que aquela criançada tirava tudo do campo (redes, bandeirinhas e bolas) e guardava. Achei bem pitoresco, mas também só vejo jogo, quando vejo, pela TV então não sei se isso acontece em outros cantos.

Expressinha Angola Huambo Futebol

Um futebolzinho com pouca gente no placar…

Expressinha Angola Huambo Futebol

Invasão do bem depois do jogo!

Saindo do jogo, ainda fomos à Granja Por do Sol, onde o pessoal costuma passear e relaxar no domingão. Já estava escurecendo, mas nos divertimos assistindo a um concurso de kuduro da criançada. Só vendo para saber que energia e o que eles são capazes de fazer.

Depois, cama para acordar cedinho e partir antes do almoço para Luanda.

A segunda, na verdade, foi meio confusa. Ainda gostaríamos de ir às termas e ao bunker do Savimbe, que ficavam na saída da cidade e visitaríamos algumas fábricas, mas acabamos demorando no excelente café do Novo Império, demorando na nossa primeira visita e ai, with kisses and love, nothing lasts forever…foi só o tempo de almoçar e pegar a estrada.

Super recomendo, é um lugar que merece ser conhecido em Angola!

Beijo grande aos amigos que tornaram esta viagem possível e sensacional!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: