Atacama – planejando como ir, quando, e o que levar

Eu estava decidida que, se em 2014 conseguisse tirar a semana do reveillon de folga, faria uma viagem de verdade. Na minha cabeça se passavam dezenas de imagens de um mar fresquinho, areia branca e sombras com redes bem…Bahia. Graças aos preços exorbitantes que nos fazem saltar para fora do Brasil rumo ao mundão de meu Deus, resolvemos desengavetar uma vontade antiga de conhecer o Atacama.

Então, para começar a história toda, fique sabendo que o Atacama não é nada barato, mas nosso reveillon lá não custou nem a metade do que custaria aqui. Com um pouco de planejamento, claro. As linhas gerais para você organizar sua viagem:

Chile Atacama Licancabur

O pôr-do-sol e o nascer da Lua que valem qualquer sacrifício!

1) Com relação à época: no Atacama não tem tempo ruim (com o perdão do troadilho). Quase nunca chove e se chovesse pode ter certeza de que você ficaria até feliz. Em dezembro é verão, então as temperaturas eram realmente altas, mas é possível sobreviver sem grandes problemas, até porque à noite dá uma boa esfriada.

2) Sua mala vai ser grande: roupas de calor para o dia, calças e blusas leves para a noite, roupas de frio pesado para o tour astronômico e para os gêisers del Tatio (temperaturas negativas, sério!), tênis para caminhada, uma mochila pequena para levar a tralha nos passeios, um boné ou chapéu, roupas de banho, chinelo para a Laguna Cejar, uma toalha pequena se não tiver no local onde você for dormir. Além dos itens mais que indispensáveis: óculos escuros, colírio que imita lágrima, sorine, um hidratante para pele extra seca, uma ampola de Pantene (se você tiver amor pelos cabelos), filtro solar pelo menos 50 para o rosto e outro para o corpo e uns remedinhos básicos para enjôo, dor de cabeça e diarréia. Eu deixaria em casa qualquer sapato ou roupa desconfortável, maquiagem e lentes de contato.

Não se preocupe! Se faltar alguma coisa, tem para comprar lá e por preços iguais aos daqui. Inclusive uma ótima farmácia.

Chile Atacama Laguna Cejar

Dia de calor dos infernos.

Chile Atacama Salar de Tara

Dia de frio da barriga para cima e calor da barriga para baixo.

Chile Atacama

Dia de frio congelante.

3) Escolha bem o seu vôo. Parece logo ali, mas são 4 horas de vôo até Santiago, mais 1h30 de vôo até Calama, mais 1h30 de carro até San Pedro de Atacama, onde você realmente vai ficar. Sem falar no intervalo entre os vôos. Coloca ai na conta um dia inteiro viajando.

Entre as companhias aéreas que voam para o Chile e, mais especificamente para Calama, você pode escolher entre a clássica Tam/Lan ou optar pela low cost Sky Airline. Optamos pela segunda, mas te aconselho a só fazer isso se for bem cuca fresca.

Primeiro porque para comprar pelo site deles você paga a conversão do dia e IOF porque o site é chileno. Há a opção de ligar no telefone: 11 3121-8611 ou mandar um e-mail para emissaobrasil@skyairline.cl. Economiza no IOF, mas tem uma taxa de 20 dólares. Se você for um paulistano estressadinho, considere fazer com um agente de viagens. Na Sky eles demoram. E se quiser remarcar um vôo, se prepare para a maratona e para talvez nunca ser atendido. Pode ser que tudo isso só tenha acontecido comigo, mas para completar alteraram nosso vôo de volta para as 2h30 da manhã e nos colocaram nos únicos bancos que não reclinavam para esse vôo da madrugada de volta para São Paulo. Por tudo isso, eu não animo viajar com eles de novo, mas não digo que não o farei nunca porque no momento muquirana eu esqueço essas coisas todas e eles são consideravelmente mais baratos.

Chile Atacama Lagunas Altiplanicas

Das belezas estonteantes que só se vê depois de voar até lá!

Ah, se você for da turma dos aventureiros, há opções. Muitos, muitos, muitos motoqueiros e motoristas com carro comum. Mas ai te aconselho a conversar mais com o oráculo da internet por mais informações sobre rotas já que não foi o rumo que tomamos. E se quiser, ainda dá para se aventurar até Antofagasta e de lá pegar um ônibus que demora cerca de 3hs para chegar a San Pedro. Assim você não precisa se aventurar pelo deserto propriamente.

4) Comece a procurar hotel antes mesmo de comprar a passagem. Muito embora San Pedro tenha visto um boom nos últimos tempos (segundo me contaram) e tenham aparecido várias opções de hospedagem, elas acabam rápido. Principamente nos BBBs. Nós começamos a procurar em setembro para irmos em dezembro e já foi difícil encontrar um lugar.

Optamos pelo Parina Atacama, por ser um apart hotel, ou seja, por ter uma cozinha completa. Assim conseguiríamos economizar um pouco comendo uns lanchinhos ou o famoso frango com fritas (e economizamos mesmo), além de podermos dar uma variada caso eu passasse mal ou a comida fosse ruim. Valeu a pena.

Chile San Pedro de Atacama

Não se engane pela calmaria, a cidade estava lotada.

O hotel fica há uns 10 minutinhos andando do centro da vila, mas ainda dentro da cidade e é bem tranquilo, com pessoal atencioso e um café da manhã bem gostosinho. O quarto menor é realmente menor: cama, TV, mesinha, ventilador, aquecedor, banheiro. Passamos uma noite nele até desocupar o apartamento. Por isso aconselho muito a ficar nesse último, que além de ar condicionado e uma cama melhor, tem uma cozinha completa com galão de água, som e espaço para a tralha toda que você vai levar. O frigobar faz toda a diferença  para aquela bebida geladinha no fim do dia.

Não tem muito o que fazer no hotel e a piscina é minúscula, embora sirva para dar uma refrescada de leve, mas eles compensam com atenção, te deixam o café da manhã ajeitado quando você vai sair cedo e estão sempre prontos para ajudar com  o que for preciso.

Chile Atacama Salar de Tara

Desvendando mistérios dos montes de pedrinhas!

Quando fiz a busca no booking, o hotel já estava lotado, mas mesmo assim mandei um e-mail para o hotel perguntando se tinha vaga e tinha. Fica a dica. Fechei tudo direto com eles, inclusive o transfer, que custou a mesma coisa que cobra a Licancabur mas com a diferença de nos deixar no hotel: 20.000 pesos ida e volta por pessoa. Para completar, ainda fizeram um ótimo câmbio no pagamento em dólar.

O Parina é meio termo. Tem muita coisa mais barata e muita coisa mais cara, mas para nós valeu o conforto que eles nos deram, principalmente porque tínhamos algum tempo livre já que nossa estada foi longa por ali. Custou 55.000 pesos no quarto menos e 78.000 pesos no apartamento, por dia.

5) Se não sabe quanto tempo ficar, não fique menos de 1 semana. Não dá tempo de conhecer tudo, não dá tempo do corpo acostumar com as condições cruéis e você vai se arrepender.

Pronto, agora que você engatilhou o essencial, o resto é só alegria e vem nos próximos posts!

Saiba mais aqui:

Atacama – Breathtaking

Atacama – onde comer muito, bem, barato e no ano novo

Atacama – cheguei em San Pedro, começo por onde?

Atacama – Tour Astronômico e a Nostalgia de la Luz

Atacama – Programação de Passeios

Atacama – A Beleza em Fotos

Shares 36

3 Resultados

  1. dezembro 9, 2015

    […] Atacama – planejando como ir, quando e o que levar […]

  2. dezembro 9, 2015

    […] Ficamos 8 dias. Foi muito, mas deu tempo de passar mal, de descansar, de  ficar na piscina, de andar sem rumo pela vila, de experimentar cervejas artesanais, de ler, de férias afinal. Recomendo pelo menos 6 dias. Todo o resto que você precisa para se organizar está nesse post. […]

  3. dezembro 15, 2015

    […] Atacama – Planejando como ir, quando e o que levar […]

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: